Semana 3 e a treta de fazer tudo em cima da hora
27/09/2020 11h49 - por Marcelisco
Infelizmente, esse daqui não é meu único emprego. Na real, não é nem meu emprego. É meu projeto paralelo que eu gostaria que desse certo e permitiria que eu saísse de um emprego que eu não escolhi.

Eu não me engano, eu sei que a chance de isso gerar uma consequência dessas é bem pequena, mas acho que a gente precisa sempre sonhar pra não ficar doido, não?

De todo jeito, a verdade é que tentar se sustentar acaba sempre tomando a dianteira na lista de prioridades quando o bagulho fica louco, então quando seu trabalho te oferece uma semana treta, escrever uma prévia animada de todos os jogos acaba ficando pra bem em cima da hora.

E eu entendo que tem gente que consegue conciliar tudo, consegue estar em dia com todos seus projetos, profissionais e pessoais, sem atrasar ou fica O que eu lamento é que quem não consiga receba a avalanche de realidade que é viver no Capitalismo 2020®.

O pessoal fica pra depois, o profissional fica infeliz e incompleto e, mesmo na prioridade de se sustentar, sua atuação também fica dependendo desse negócio de fazer tudo em cima da hora, do jeito que dá.

Viver do jeito que dá é muito ruim e nadinha do que me ensinaram nos filmes da sessão da tarde. Se você consegue que as coisas sejam feitas, melhor. Se você não consegue, é treta demais.

Vamos ao que interessa, depois de ir 16-0 na semana passada.

Sim, é isso mesmo que você leu, acertei o acerto de todas as partidas da rodada, inclusive o traiçoeiro jogo dos Saints e Raiders, onde apostei nos Raiders, mais numa manobra de sorte de apostar no azarão do que realmente acreditar que dava pro time do técnico Jon Gruden.

16-0. Estou orgulhoso.

Houston Texans e Pittsburgh Steelers

Eu acho o Bill O'Brien, técnico dos Texans, tão otario quanto qualquer um pode achar. Mandar embora o melhor jogador do time por escolhas que poderiam ser mais altas e um running back veterano vindo de anos de lesão? É coisa de gente que não sabe o que está fazendo.

Mas começar a temporada enfrentando, consecutivamente, o atual campeão, o time do atual MVP e um Pittsburgh Steelers com o Big Ben de volta é sacanagem. Se ganhar o jogo, os Texans vão ter feito muito mais do que se esperava deles já, mas é muito baixo astral para o time do ótimo quarterback Deshaun Watson tenha que começar numa sequência onde tem pouca ou nenhuma chance de ganhar qualquer dos três jogos.

Turma siderúrgica ganha

Cincinnati Bengals e Philadelphia Eagles

Eu entendo quem gosta do quarterback dos Bengals, Joe Burrow, pela capacidade técnica e pela confiança que exala dos poros a todo momento. Entendo mesmo. Você vê o Burrow jogar e toda a confiança se justifica. O cara é bom e tem futuro.

Dito isso, relacionar o tamanho do pinto com essa autoconfiança diz muito sobre a nossa sociedade falocêntrica patriarcal, né? O cara é bom? Pinto grande. O cara é confiante? Pinto maior ainda.

É curioso como a capacidade de ele mesmo abraçar o apelido, pra mim, já demonstra uma insegurança e necessidade de autoafirmação que bate de frente com a persona pública que ele coloca.

Cara, os Eagles tão devastados por lesão, quase nem tem mais wide receiver pro Carson Wentz passr a bola, depois que até o calouro Jalen Reagor machucou, a linha ofensiva é aquela draga. Eles não vão perder dos tigres de bengala, né?

Vitória das águias porque tudo tem limite

San Francisco 49ers e New York Giants

Outro caso de um grande número de lesões que atrapalha um time, mas, neste caso, é um time bem melhor e atual campeão da conferência. Os 49ers ganharam semana passada depois de perder Nick Bosa, Raheem Mostert, Solomon Thomas, mas o adversário eram os Jets. Não é toda semana que os Jets te recebem pra você passar o carro neles, né?

Mas a semana é de New York Giants e o outro time de NY que costuma ser muito menos ridículo, não parece ter muito a oferecer em termos de desafio, então eu vou seguir com San Francisco favorito.

Os Giants contrataram Joe Judge na intertemporada e o treinador já ficou conhecido por ser linha dura e fazer até seus assistentes correrem em volta do campo quando fazem cagada. Parece um modelo bem imbecil de gestão.

Se você confia no desenvolvimento do Daniel Jones, parabéns por ter interesse em prestar atenção em uma história absolutamente sem graça alguma. Vou prestar atenção melhor no Jones quando ele for relevante e eu espero que demore.

Os números vencem os gigantes

Las Vegas Raiders e New England Patriots

Eu realmente não acho que os Raiders ganharam por sorte dos Saints na semana 2. O time veio preparado, impôs seu jogo terrestre, o que permitiu que seu jogo aéreo fosse bem e a defesa incomodou muito o desfalcado ataque de New Orleans. Mas eu não vejo Jon Gruden indo até Foxborough e ganhando do Bill Belichick, ainda mais com o time desfalcado.

Os Raiders, de um jeito ou de outro, parecem estar um pouquinho de volta e vocês vão me perdoar se eu nunca mais ligar a TV pra ver o Jon Gruden caso ele ganhe uma partida dos Chiefs este ano. Cara chato dos inferno, vai ficar mais chato ainda.

New England perdeu um jogo apertado de um dos favoritos ao título, por uma jogada que os Seahawks executaram melhor do que eles. Isso tá longe de decretar o fim do reinado do time, ainda mais com Cam Newton de volta jogando bem em todos os aspectos e cada vez mais familiarizado com o esquema ofensivo do coordenador Josh McDaniels.

Eu gosto muito do Derek Carr, quero só deixar isso aqui registrado.

Patriotas ganham em casa

Tennessee Titans e Minnesota Vikings

Kirk Cousins parece ter atingido um nível de atuação muito próximo da sua capacidade de gerar frases de efeito, depois de passar algum tempo fingindo ser um quarterback de elite. 

O tanto de quarterback que é escondido ou protegido pelo esquema ofensivo parece dificultar estabelecer quem é o quarterback mais mediano de todos na liga, mas acho que o Kirk Cousins tem que estar nessa discussão sim. Minnesota precisa melhorar muita coisa no elenco sim, mas quarterback é uma delas.

 
Tennessee deu um susto na gente quando precisou de ataque aéreo e produção em volume pra ganhar dos Jaguars, na semana passada, mas time bom encontra maneiras de vencer, mesmo em uma tarde estranha contra um adversário pior. Mesmo sendo atual finalista da conferência, pra mim os Colts entraram na temporada como favoritos.

Isso mudou.

Titãs vencem mais uma

Washington WTF's e Cleveland Browns

Washington tem uma estagiária mulher na sideline, Cleveland tem a chefe de staff, Callie Brownson e o jogo terá a árbitra Sarah Thomas trabalhando. Primeira vez na história que os dois times e a equipe de arbitragem contarão com mulheres presentes.

Isso é um marco e muito impressionante, em um esporte onde a luz no fim do túnel para representação igualitária parece estar anos luz de distância. Mas eu fico com qualquer notícia boa que você jogar pra mim no ano de 2020, muito obrigado.

Eu torço pelo quarterback Dwayne Haskins, de Washington, porque eu lembro como ele era um jogador produtivo no universitário e sei como ele foi mais um cujas análises foram prejudicadas por ser negro e o mundo completamente racista. Acontece que existe uma chance considerável de Haskins não servir como titular na NFL e eu não tô nem aí. Vou sempre torcer contra racistas, principalmente se a análise correta deles vier de uma motivação racista escrota.

Se o calendário prejudicou os Texans, os Browns começaram apanhando de Baltimore, mas pegaram Bengals e, agora, Washington pra dar uma aliviada. Se não sair dess 2-1, pode encerrar a temporada.

Marrons ganham

Los Angeles Rams e Buffalo Bills

Muita gente vai falar, com razão, de Saints e Packers, mas o jogo da rodada não tem nem como não ser esse daqui.

Os Bills estão jogando o fino da bola, com o quarterback Josh Allen, até aqui, fazendo muito analista ficar com cara de bobo. O jovem lançador era a maior incógnita de um time bem treinado, bem montado e cheio de talentos de primeiro nível. mas, até aqui, tem tranquilizado bastante o torcedor de Buffalo.

Acontece que do outro lado vai enfrentar um Rams, cujo treinador Sean McVay parece ter se reencontrado depois de um ano patinando. A defesa tá jogando bem, o ataque parece estar muito bem encaixado e o time é uma ameaça a ser levada a sério na divisão mais difícil da NFL e na conferência nacional como um todo.

Será que algum dia eu vou me convencer que qualquer sucesso do Jared Goff é mais do que um esquema técnico incrível e de uma comissão técnica que esconde seus defeitos fazendo chamadas criativas, porém seguras, e cuidando dos ajustes na linha de scrimmage pré-snap?

Não sei.

Eu vejo os carneiros levando essa no melhor jogo da rodada e um dos melhores da temporada

Chicago Bears e Atlanta Falcons

E por falar em calendário favorável, lá vem os ursos que venceram Detroit Lions e New York Giants nas duas primeiras semanas. Mais uma vez favorecido a vencer contra um moribundo time de Atlanta que parece ter abandonado completamente qualquer pretensão de defender, tal qual aquele São Caetano da copa João Havelange.

Ninguém me convence de que Matt Nagy não está fazendo um trabalho incrível escondendo seu péssimo quarterback Mitchell Trubisky atrás de chamadas ofensivas inteligentes e eficazes, mas há quem não concorde. Cada semana fica mais fácil de entender qual que é a do time de Chicago, mas são as próximas duas semanas que vão dizer mais, quando receber Colts e Buccaneers no Soldier Field.

Os Falcons resgataram o treinador Dan Quinn na temporada passada, provando que as vezes é melhor mesmo deixar um técnico que já deu o que tinha que dar ir embora. Dan Quinn merecia ser demitido ano passado e merece ser demitido esse ano, mais uma vez. Se você acredita na virada da temporada pra esse time, talvez você seja um dos 5 torcedores aqui do Brasil.

Ursos levam

Carolina Panthers e Los Angeles Chargers

Vocês vão me desculpar de não comprar a hype do Justin Herbert ainda. Depois de surpreender e quase derrotar o Kansas City Chiefs em uma estreia que só aconteceu porque, na última hora, o quarterback Tyrod Taylor ficou de fora do jogo, Herbert enfrenta seu primeiro grande desafio contra um time que passou a semana inteira se preparando para derrotá-lo.

Por sorte, pra ele, quem visita são os Panthers, um time mais do que capaz de fazer um quarterback se sentir em casa, ainda que Tom Brady tenha sido interceptado semana passada.

Não me importa que o running back de Carolina, Christian McCaffrey está de fora, eu continuo muito entretido pelo time do técnico Matt Rhule, conhecido por fazer reviravoltas positivas nos times universitários que treinou. Mas a vida não é a faculdade e jogar com Teddy Bridgewater comandando o ataque, na NFL, é evidentemente um desafio maior.

Carregadores ganham

New York Jets e Indianapolis Colts

Você ficaria surpreso se eu te falasse que o dono dos Jets, Woody Johnson, não só é apoiador de Donald Trump, como é membro do governo? Pois é.

Esse caos e tristeza em forma de time, buraco negro da alegria e esperança, só poderia ser comandado por alguém que integra uma administração corrupta, inepta e facista.

Contratar Adam Gase já é uma cagada que merecia, pelo menos, uns cinco pescotapas do Jon Jones, mas mantê-lo no comando depois de 2019 só poderia ver de quem não tem a menor capacidade de fazer uma análise séria do que tá acontecendo.

Eu sinto muito mesmo é pelo Sam Darnold, um jovem quarterback muito promissor, que está passando o início de sua carreira profissional sendo sabotado pelo comando do time e pelo treinador. Espero que Darnold siga o caminho de Ryan Tannehill e tenha uma chance de brilhar em outro lugar.

Se o Indianapolis Colts nem tentar ganhar, ainda é favorito, mas depois de entrear com uma dura derrota para os Jaguars, os Colts precisam engrenar a segunda vitória consecutiva pra poder brigarnna divisão e na conferência.

Eu sempre torci pelo quarterback Philip Rivers e continuo torcendo.

Potros vencem os jatos

Dallas Cowboys e Seattle Seahawks

Eu sei que a vitória dos Cowboys contra o Falcons foi bem suspeita, precisando de um onside kick bizarro e um chute no último segundo pra virar uma partida que parecia perdida. Mas me escuta aqui, rapidinho.

Os Cowboys cometeram quatro turnovers e não forçaram nenhum. Ainda assim anotaram 40 pontos e venceram o jogo. Eu sei que a defesa dos vaqueiros é suspeita e vai ter a mão cheia contra o melhor quarterback da NFL, Russell Wilson, mas você não pode achar que toda semana o time vai cometer 4 turnovers e entregar uma liderança enorme antes de resolver jogar.

Por isso, já adianto que vou apostar em Dallas, mesmo sabendo o tanto de coisa que precisa se alinhar pro time derrotas os Seahawks fora de casa. Não tenho medo do perigo e a verdade é que errar previsão não tem nenhum risco porque: FODA-SE

Os Seahawks, pra mim, são os favoritos que eu esperava que os Saints fossem antes da temporada começar e a lesão de Michael Thomas expor as limitações de Drew Brees e o resto do ataque. Mesmo que Seattle não consiga pressionar o quarterback, o time parece bem apto a travar disputas sérias contra qualquer adversário da liga e, infelizmente, preciso dar o crédito pro técnico Pete Carroll, um gênio cuja cara de otario não me desce.

Vaqueiros ganham e a mídia vai a loucura

Tampa Bay Buccaneers e Denver Broncos

Os Bucs são favoritos e Denver está cheio de lesão no elenco e completamente ferrado e é assim que eu sei que esse jogo vai dar uma zica enorme pro Tampa Bay, mais conhecido por jogar bem em jogo difícil e espalhar a farofa em jogo fácil.

Acharam que contratar o Tom Brady ia mudar a personalidade completa formada ano após ano de derrota e fracasso? Me poupe, né.

Brady ainda não acabou, mas sempre que cometer algum erro vai ficar essa sensação e semana passada não foi diferentes. Pressionado pela defesa de Carolina, lançou uma interceptação e deixou muito forte a sensação de que está com medo de apanhar (o que acho perfeitamente natural). Mais uma semaninha de teste de suas capacidades e da mídia decidindo se a carreira dele acabou ou não. Se incomoda só quem não sabia que isso ia rolar.

Drew Lock não joga, machucado, adiando mais uma semana do acalourado e imbecil debate de quem é melhor entre ele e Daniel Jones. Tem que ter muito fetiche em discussão vazia pra querer saber quem é melhor entre quarterbacks que tão irrelevantes (na atualidade).

Bucaneiros vencem

Detroit Lions e Arizona Cardinals

Revanche do empate interessante da abertura da temporada passada, não poderíamos estar vendo dois times que seguiram caminhos mais diferentes de lá pra cá. Os Cardinals montaram um Elenco de Respeito, enquanto os Lions continuam contando com o treinador Matt Patricia, o que já devia dizer muito.

O time de Arizona desenvolveu seu quarterback Kyler Murray, trouxe peças como DeAndre Hopkins para ajudar o técnico Kliff Kingsbury a implantar seu ataque que fez tanto sucesso no universitário e virou um verdadeiro candidato a playoffs e, quem sabe, mais.

Detroit, por outro lado, recebeu o ótimo quarterback Matthew Stafford de volta e teria tudo pra dar uma melhorada depos de mais um ano pra jogar fora, em 2019, mas lesões para jogadores como Kenny Golladay e decisões como a de deixar Darius Slay sair fora trouxeram Detroit de votla à sua triste realidade em 2020.

Cardinals vencem mais uma

Green Bay Packers e New Orleans Saints

Esse jogo tinha tudo pra ser um dos jogos mais interessantes da rodada, mas graças à derrota para os Raiders, os Saints saíram de favoritíssimos ao título a super suspeitos na velocidade da luz.

Não me leve a mal, o elenco ainda é excelente, o quarterback ainda é hall da fama e o treinador ainda é incrível. Mas uma lesão ao recebedor Michael Thomas expôs o equilíbrio do elenco que ficou sem opções concretar para o quarterback Drew Brees que, sem poder confiar em ninguém além de Alvin Kamara, acabou prejudicado e jogando mal uma partida contra um adversário muito preparado.

Os Saints sangraram e os adversários cheiraram sangue na água. Conseguirão aproveitar?

Os empacotadores, por outro lado, começaram a temporada pegando foto, anotando um caminhão de pontos nas duas primeiras rodadas e não dando nehum indicativo de que vão parar, Essa semana, o desafio maior é a excelente defesa dos Saints que não vão ter, toda semana, que enfrentar jogadores como Darren Waller e Henry Ruggs.

Ainda aposto na vitóris do empacotadores

Kansas City Chiefs e Baltimore Ravens 

Outro jogo que é tido como jogo da rodada, mas a verdade é que eu vejo uma discrepância muito relevante entre os dois times. Aponte os defeitos e problemas de Lamar Jackson o quanto você quiser, eu vou apontar para um ataque equilibrado que anotou mais de 30 pontos nas duas primeiras semanas e que parece não ter um antídoto, ainda, na liga.

Alie esse ataque a uma defesa implacável, com uma das melhores duplas de cornerbacks da liga em Marcus Peters e Marlon Humphrey, além de uma defensor dominante como o veterano Calais Campbell, e você tem o melhor time da conferência americana até aqui e desde a temproada regular do ano passado.

Enquanto isso, o atuais campeões ainda tem a genialidade à flor da pele do quarterback Patrick Mahomes, mas a verdade é que ele não joga na defesa e isso faz muita diferença. 

Se esse jogo tem tudo pra virar um tiroteio de alta pontuação, somente uma das defesas demonstrou, até aqui, a capacidade de enfrentar o ataque que enfrenta essa semana e sair por cima. Essa defesa é a de Baltimore.

De novo, Patrick Mahomes é genial, incrível, absoluto, mas a defesa que vai enfrentar é de um nível muito maior que a defesa que o Lamar Jackson vai enfrentar.

Corvos vencem correndo o risco de o jogo nem ter tanta graça assim, será?
 




Obrigado por comentar!
Erro!