A vida dos kickers em estádio aberto e vazio é mais complicada e a semana 1 tá aí de prova
O kicker veterano Robbie Gould, dos 49ers, alertou lá em agosto que a falta de fãs nos estádios podia afetar a condição do vento e atrapalhar a vida dos chutadores
19/09/2020 16h04 - por Marcelisco
Na semana 1, o desempenho dos kickers foi bem patético. Desde 1982, época onde os chutes eram bem menos precisos, que não se errava tanto na primeira semana da temporada. Lá, foram 20 erros e em 2020 tivemos 19. Acontece que não é uma grande coincidência e tem a ver com o efeito que os fãs têm no vento dos estádios abertos.

Vamos lá.

O kicker do San Francisco 49ers, Robbie Gould, já tinha levantado a bola, em agosto, que a ausência de torcedores nos estádios poderia alterar as condições do vento para os jogadores, ao mesmo tempo que desconsiderou a pressão de chutar no silêncio. Acontece que uma multidão de dezenas de milhares de pessoas gritando pode derrubar o efeito do vento e, a ausência dessa multidão, deixa os chutadores muito mais vulneráveis, principalmente em chutes longos.

Na semana 1, dos 19 chutes errados em tentativas de field goal, 2 foram em estádios fechados e 17 em estádios abertos, incluindo os três chutes errados de Stephen Gostkowski, kicker dos Titans, na vitória contra os Broncos, em Denver.

Por falar nele, outra coisa que os chutes do ex-jogador dos Patriots ajudam a comprovar é a distância. Dos três erros de Gostkowski, todos foram em chutes acima de 40 jardas, enquanto seu acerto, o chute da vitória, veio de uma distância de 25 jardas.

Parece que Robbie Gould tinha mesmo um ponto. Peguei essa informação na prévia da semana do Dom Cosentino, que vale sempre ser lido e seguido nas redes sociais.




Obrigado por comentar!
Erro!