Semana 1 e manifesto da temporada 2020
12/09/2020 11h13 - por Marcelisco
Se você quiser acompanhar prévias sérias, comentando as chances dos times de acordo com os números e as estatísticas, você sabe onde vai encontrar. Não é aqui.

Nossa prévia é lúdica e vai sempre, pelo menos, te ajudar com um assunto por jogo para você comentar com a pessoa com quem você está furando a quarentena junto.

Tá rolando isso ainda? Quarentena?

Antes de mais nada, um questionamento.

Será que as pessoas realmente gostam de acompanhar a NFL e discutir com os amigos a respeito sempre tentando medir quem conhece mais do negócio?

Sabe do que eu tô falando?

É aquele debate hipster do “quem chegou primeiro”, extrapolado pro “quem conhece mais”, ou “há mais tempo”, que enche o saco e não é só no Twitter não.

Você já se pegou numa situação dessas? Não é que você prefere o Julio Jones nos anos 2010 ao Antonio Brown. É que você prefere o Julio Jones nos anos 2010 ao Antonio Brown porque você é burro e/ou mal informado e/ou apenas um novato na arte imaculada de curtir a NFL.

Como é comum seu interlocutor simplesmente presumir que sua opinião é mal informada, não aprofundada como a dele.

Me pergunto se essa é a maneira mais convidativa de trazer mais amigos para um hobby que te interesse tanto, ou fazer novos que já compartilhem do mesmo interesse.


Meu ponto é só que é possível ser didático ou ter debates honestos sem apelar para a condescendência.

Somos todos culpados e todos precisamos melhorar.

AOS JOGOS...

Philadelphia Eagles em Washington Football Team

Olha, gente, eu preciso confessar pra vocês que eu não consigo simplesmente descartar o Alshon Jeffery como um jogador que contribua com o ataque. Eu sei que ele tem lá seu histórico com lesões, assim como o time inteiro dos Eagles, mas as vezes eu olho aonde ele é escolhido nos draft do Fantasy, eu vejo o pessoal falando dele sempre como um jogador esquecido. Tô maluco?

O time de futebol de Washington mudou de nome pra “sem nome”, o tipo de piada mais imbecil da adolescência, tirou o índio da logo e imediatamente ficou melhor. Quanto horrível você tem que ser pra melhorar assim? O capacete ficou bem legal, não vamos negar, mas estou louco mesmo é para ver o wide receiver Terry McLaurin. Existe uma narrativa de que os wide receivers de Ohio State como McLaurin e Michael Thomas, chegam na NFL muito preparados por pegarem passes de quarterbacks nem sempre precisos, mas muito atléticos que encaixam no esquema de jogo da universidade, como é o caso de Dwayne Haskins. Isso vai estar em teste quando os ex-companheiros de faculdade formam uma dupla intrigante no início da temporada 2020.

Vitória das águias, saudades Carson Wentz candidato a MVP

Miami Dolphins em New England Patriots

Não aguento esse papo de torcedor modinha. Como se fosse inaceitável escolher torcer para um time que está ganhando ou em evidência. Cada um escolhe o time que quiser torcer e pronto e se a torcida do New England Patriots no Brasil vai ser a maior de todas por causa disso, paciência, não pode julgar nem torcedor do Patriots (só um tipo, mas falamos mais abaixo). Se o time tá ganhando é natural que vai ter mais torcedores novos e se você acha que é um bastião da moralidade porque torce pra time sofrido, você precisa arrumar outro hobby.

Cam Newton estreia em New England. O quarterback e ex-MVP vem ocupar o espaço que era de Tom Brady e tentar ajudar o técnico Bill Belichick a provar que todo o seu sucesso não dependia exclusivamente do seu ex-quarterback.

Miami volta para mostrar se a reconstrução continua ou se já vai render frutos, já em 2020. O quarterback ainda é o veterano Ryan Fitzpatrick e vamos ter que esperar para ver o calouro Tua Tagovailoa, mas o time volta de um ano que superou expectativas (é impressionante como isso é bizarro e verdadeiro na mesma proporção), com um treinador que indica saber o que está fazendo e peças jovens para tentar fazer a coisa funcionar.

Os Golfinhos levam essa e causam furor na NFL sobre a química entre Cam Newton e o império do mal

Green Bay Packers em Minnesota Vikings

A história da inter temporada na Baía Verde foi o time não só não trazer um wide receiver de alto nível para fazer dupla com Davante Adams, como ainda escolher o possível sucessor de Aaron Rodgers na primeira rodada do Draft. Tudo indica que o quarterback veterano vem mordido para a próxima temporada e o teste é de fogo contra um rival de divisão logo na estreia.

Nada indica que os Vikings possam deixar de ser um dos candidatos aos playoffs na conferência nacional, ainda mais com a troca por Yannick Ngakoue, que reforçou bem uma defesa cheia de talentos, do técnico Mike Zimmer. Falar pra vocês que eu nunca me empolgo para assistir o Kirk Cousins, quarterback de Minnesota, mas não duvido que o time seja capaz de colocar em campo um ataque interessante de se ver que produza bastante, também no chão com o Dalvin Cook.

Empacotadores por um triz

Indianapolis Colts em Jacksonville Jaguars

Eu entendo gostar dessa figura cômica do Gardner Minshew, quarterback dos Jaguars. Entendo mesmo, de um ponto de vista racional, a graça que as pessoas vejam nele. Mas meu medo é que seja um daqueles memes que são super utilizados e prendem o próprio cara no personagem que saiu dali. Dito isso, acho um jogador com muito talento e que eu confiaria para se sair bem em um ambiente mais favorável com mais armas ao seu redor. Não acho que os Jaguars entram na temporada querendo entregar a rapadura, mas não duvido que isso passe a ser verdade depois de algumas rodadas. Espero que não.

Fazia tanto tempo que eu não curtia tanto os Colts que eu não sei nem o que fazer disso. Lembra do Curtis Painter? Misericórdia. Aí o time encontrou seu salvador Andrew Luck, que acabou aposentando e, pro seu lugar, o time trouxe o veteraníssimo Philip Rivers (quando Luck entrou na NFL, em 2012, Rivers estava em sua nona temporada), ex-Chargers. Rivers sempre encabeça times que prometem muito na temporada, reparou? Achava que era uma coisa só dos Chargers, aquele de San Diego, mas Rivers chegou no Colts e a sensação é de que a promessa é real. Eu estou empolgado pra acompanhar o time do excelente técnico Frank Reich.

Potros vencem

Chicago Bears e Detroit Lions

Quantas vezes na nossa história vamos ter que falar sobre Mitchell Trubisky? Os Bears simplesmente não permitem que ele vire passado na nossa vida e, mais uma vez, tá lá o quarterback ex-North Carolina fazendo o maior esforço do mundo para ser medíocre. A gente faz o que com o Matt Nagy? Sente pena? Cobra do cara? Pra um ex-treinador do ano, Nagy tem deixado a desejar. E juro que não to reclamando do Trubs porque ele não me permite confiar nos jogadores ofensivos dos Bears no fantasy, mas na verdade eu tô sim.

Do lado dos Lions, Matthew Stafford está de volta e eu continuo gostando muito de assisti-lo jogar. Um dos braços mais fortes da NFL, Stafford vinha fazendo uma excelente temporada no ano passado até se lesionar e entregar as rédeas do ataque pro jovem e despreparado David Blough. Complicado. Ainda bem que ele está de volta e esse ataque dos Lions que acaba de adicionar Adrian Peterson, é algo a se acompanhar (não por causa do running back veterano).

Ursos ganham fora de casa

Oakland Raiders em Carolina Panthers

Falem o que quiser dos Panthers como um dos candidatos a escolher cedo no próximo Draft, mas eu estou muito curioso para ver o trabalho de Matt Rhule a frente da equipe. O ex-treinador da universidade de Baylor é conhecido por pegar programas em meio ao caos, organizar a casa e ter algum sucesso rapidamente e agora é a vez de testar sua capacidade na NFL. Christian McCaffrey, running back dos panteras, é um dos jogadores mais eletrizantes de assistir na NFL.

A impressão que dá sempre que eu olho pros Raiders é que é um time conduzido por dois comentaristas da mídia que não gostam de dar o braço a torcer e insistem nas próprias ideias tentando provar algo pros outros, que não sabem de nada. Palavras fortes vindas de alguém que não quer que julguemos os outros. Eu torço pelo sucesso do quarterback Derek Carr e acho que ele tem as ferramentas para ter sucesso. Seu técnico Jon Gruden vai ajudar? Alguém aí acredita em Marcus Mariota como ameaça? Eu não, pras duas perguntas, mas sou um sonhador e continuo torcendo.

Panteras vencem e chocam a liga

New York Jets em Buffalo Bills

Os Bills são um timaço, com um treinador já na briga pelo prêmio de melhor treinador da temporada em Sean McDermott, uma defesa sólida que se reforçou, um ataque cheio de peças que só precisa que o quarterback Josh Allen encontre consistência e segurança na condução do ataque. Favoritos na divisão e candidatos a ir longe nos playoffs SIM. Me convença do contrário.

Do outro lado um time caótico, cujo treinador Adam Gase começa a temporada ameaçado de cair e cujo retrospecto inclui problemas de relacionamento com o elenco, falta de organização e regressão no desenvolvimento de seu quarterback jovem e cheio de potencial. Todos eles serão testados em 2020, já que Gase precisa botar ordem na casa, melhorar o relacionamento com seus principais atletas (o time já perdeu seu melhor jogador Jamal Adams na inter temporada) e ajudar no avanço do desenvolvimento de Sam Darnold.

Eu duvido, não sei vocês.

Os Guis (William é Guilherme em inglês, Bill e abreviação de William - aguarde as próximas traduções) vencem a primeira e mostram a que vieram para a temporada

Cleveland Browns em Baltimore Ravens

Eu quero ver Marquise “Hollywood” Brown jogar bem. Eu acho que o segundanista tem tudo para ajudar a calar o papo de que não há um corpo de recebedores nos Ravens, que sequer precisaria desse tipo de ajuda com um arremessador tão capaz de se virar sozinho como o atual MVP Lamar Jackson. Eu acho que o desenvolvimento de Brown vai ajudar muito no de Jackson e acho que o fã da NFL tem muito a ganhar com isso.

Os Browns continuam tendo um bom elenco, mas desta vez tem um treinador que parece menos despreparado que o notoriamente despreparado Freddie Kitchens. O novo treinador Kevin Stefanski soube botar ordem no ataque de Minnesota com jogadores como Kirk Cousins e o atual reserva de Cleveland, Case Keenum. Será que consegue fazer Baker Mayfield andar na direção correta e aproveitar a quantidade impressionante de talentos ofensivos dos marrons? Odell Beckham, Nick Chubb, Kareem Hunt, David Njoku, Austin Hooper, Jarvis Landry, uma linha ofensiva reforçada...

ACABARAM AS DESCULPAS? OU JOGA POR AMOR OU JOGA POR TERROR?


Vitória dos corvos

Seattle Seahawks em Atlanta Falcons

Se você, como eu, tem muita dificuldade em aceitar que um jogador fenomenal de assistir como o Russell Wilson é um cara tão sem graça e brega na vida real, não se preocupe. Isso passa. Aproveite Wilson pelo que ele é dentro de campo e ignore que ele é uma pessoa que tentou se auto apelidar de Mr. Unlimited. Que cara bobo. Mas não perca a chance de vê-lo jogar. As vezes eu tenho a sensação de que seus passes longos evocam a sensação do arremesso do Steph Curry, de que enquanto a bola está no ar simplesmente há uma confiança muito forte de que o passe vai ser completo, ou de que a bola vai cair. Só eu?

Eu estou louco para ver como Todd Gurley, o novo running back de Atlanta, se sai na temporada. Suas lesões parecem indicar problemas crônicos que vão impedi-lo de jogar no nível que jogou quando foi premiado como jogador ofensivo da temporada, mas o time é bom e o ex-jogador da universidade da Georgia está em casa de novo.

Águias do mar vencem essa

Los Angeles Chargers em Cincinnati Bengals

Minha sensação sobre o Cincinnati Bengals é de que o técnico Zac Taylor está numa situação onde terá sim que mostrar resultados, ao contrário do ano passado quando foi café com leite. A.J. Green está de volta, a linha ofensiva tem a estreia de Jonah Williams, o running back Joe Mixon renovou o contrato e pra justificar ter sido contratado como técnico tão cedo em sua carreira, Taylor precisa mostrar mais, simples assim. Espero que a escolha de primeira rodada do Draft desse ano e dono da melhor temporada da história de um quarterback universitário, Joe Burrow, contribua com a causa do treinador.

O maior problema dos Chargers, para mim, é a perda do Derwin James. Eu gosto muito desse time e acho que mesmo a perda do safety e candidato a melhor jogador defensivo da temporada não vai impedir o time de ter um ano de sucesso. A defesa e o ataque tem muitas peças e eu continuo adorando assistir o wide receiver Keenan Allen jogar. Como um jogador conhecido por não ser tão veloz fica livre com tanta frequência? É lindo de se ver. Tyrod Taylor é um veterano que deveria ser mais respeitado, ainda que não seja um quarterback brilhante e seu desempenho vai ser termômetro do time na temporada e dizer quando o calouro futuro da franquia Justin Herbert vai entrar em campo.

Vitórias dos carregadores

Arizona Cardinals em San Francisco 49ers

Não sei se você é do tipo que acompanha futebol americano universitário, mas vou te falar que a expectativa que eu tenho dos Cardinals 2020 é a de ver Oklahoma e Texas Tech (pode ir ver no youtube) toda semana. Mesmo assim, estou empolgado para ver o que o time faz com o novo defensor, o linebacker Isaiah Simmons. É um dos jogadores que eu estou mais empolgado para ver na liga inteira e acho que sua atuação pode ajudar a ilustrar uma revolução defensiva de jogadores versáteis e extremamente atléticos que servirá de contraponto ao que está fazendo Lamar Jackson, em Baltimore.

Mesmo assim, sabe que eu não fico tão empolgado com o Kyler Murray? Acho que preciso mesmo é assistir mais jogos dele para comprar a hype. Hype que eu acho que ele merece sim e também acho que o técnico Kliff Kingsbury tem tudo para provar que seu esquema ofensivo veio para mudar tudo.

Os californianos trocaram peças certas e concretas por promessas do Draft e a expectativa é que o time continue indo bem, elas se encaixem imediatamente ou não. Time bem administrado e organizado costuma ser assim e eu queria chamar atenção mesmo ao coordenador defensivo Robert Saleh. Fala-se muito do técnico Kyle Shanahan e do general manager John Lynch, com motivos, mas Saleh não ter sido contratado como head coach de outra franquia é uma sorte enorme para os quarentaenoveiros.

Vitóris dos Cardeais, porque não tenho medo de apostar na ousadia

Tampa Bay Buccaneers em New Orleans Saints

É nessa hora que eu te aviso que eu sou torcedor dos Buccaneers e minha relação com o Tom Brady é complicada. Eu acho que é o melhor de todos os tempos e tem os títulos e as performances pra defender isso daí, mas não consigo curtir a história de pagar funcionário pra esvaziar bola e nem tolerar o boné do Donald Trump no vestiário. O tipo de apoio cínico, que apoia mas acha que tá tirando o seu da reta é uma postura sonsa difícil de engolir.

Mas, é o quarterback do meu time e o do ano passado tinha histórico de abuso sexual e era extremamente inconsistente em campo. O que se pode fazer? A defesa é excelente, com peças que podem surpreender como o calouro Antoine Winfield Jr., além de jogadores veteranos como Jason Pierre-Paul e Lavonte David. O maior problema que o torcedor dos Bucs enfrentam, em 2020, é a quantidade de torcedores do Tom Brady que agora estão querendo torcer pra Tampa Bay. Faz o quê se quem tá se juntando ao seu time é justamente pra torcer a favor de um cara que você nem torce a favor direito?

Só que do outro lado tá o melhor elenco e time da NFL, de longe, New Orleans Saints. Eu falo isso sabendo que os Chiefs são um negócio até difícil de colocar na cabeça, mas a equipe de Kansas City não tem a defesa que os santos de Nova Orleans têm e acho que a diferença é mesmo essa. E não me venha com papo de que Drew Brees está velho e não acerta passe longo. Considere a possibilidade de o Drew Brees sequer precisar tentar passe longo com o elenco que tem à disposição o técnico Sean Payton, além de continuar sendo historicamente preciso nos passes que tenta, com médias de mais de 70% de passes completos.

Santos leva essa

Dallas Cowboys em Los Angeles Rams

Tá, esse ano pra mim é o ano do “ou vai ou racha” do Sean McVay. De que adianta ser um treinador revolucionário que revoluciona uma temporada e depois não revoluciona nunca mais. Quero ver um ataque muito melhor e quero ver Jared Goff me provar que é bom mesmo, com McVay dando mais liberdade para o jovem quarterback jogar. Eu não boto muita fé no Goff não, sabia? Mas não duvido também, já que você não é escolhido primeiro no Draft de graça (ou é?).

Sempre que você lembrar que a NFL fez um conluio para manter Colin Kaepernick sem emprego, sempre que você ficar espantado com a capacidade da NFL de cooptar movimentos sociais para fazer relações públicas, concentre seu ódio não no comissário Roger Goodell, mas sim em Jerry Jones, o dono dos Dallas Cowboys e principal chefão entre os donos de franquia.

Por outro lado, o quarterback dos Cowboys, Dak Prescott é um cara legitimamente legal para quem você deveria torcer e que quanto melhor for, mais dinheiro obrigará os Cowboys a pagar para ele não sair ano que vem. Olha só que coisa.

Vitória dos vaqueiros

Pittsburgh Steelers e New York Giants

Um time que quase foi para os playoffs sem Ben Roethlisberger, agora tem de volta o quarterback veterano para conduzir o ataque. É candidato a playoffs e mais e eu já cansei de como é fácil ignorar a excelência do trabalho do técnico Mike Tomlin.

Eu não tenho nada contra o quarterback Daniel Jones, mas me incomoda que o eventual sucesso de sua carreira vai ser sempre usado para justificar a posição em que foi escolhido no Draft. Escuta, se você ama Daniel Jones, escolha quando quiser, mas não me diga que não seria possível trabalhar melhor o Draft para descer algumas escolhas e, não só pegar Jones, como pegar mais algum talento para ajudar o elenco.

Sabe um time que precisa de uma grande injeção de talento? Pois é, o New York Giants. Então, mesmo que Jones vire o melhor quarterback de todos os tempos, sua escolha antes de quando devia impediu o time de se reforçar ainda mais.

Vitória dos trabalhadores do aço

Tennessee Titans e Denver Broncos

É um negócio impressionante como os jogos do Monday Night acabam sendo umas coisa sem graça dos inferno ano após ano. Parece que os caras distribuem de sacanagem.

Mesmo assim, acho que tem potencial de ser um jogaço. Quero muito ver como os atuais finalistas da conferência se comportam depois de chocar o mundo com vitórias contra Patriots e Ravens nos playoffs da temporada passada, ainda mais depois de renovar o contrato do quarterback Ryan Tannehill e do running back Derrick Henry, protagonistas de um playoff inesperado.

Se você já confia no Drew Lock, bom pra você. Eu ainda não, mas acho que ele pode me provar errado com jogadores como Courtland Sutton e Jerry Jeudy recebendo seus passes. Entre os running backs Melvin Gordon e Philip Lindsey, quem fica com as carregadas? Falar que a perda de Von Miller doeu demais pra quem é fã da NFL e mais ainda pra quem torce pros Broncos porque é difícil de pensar num sucesso muito grande do time sem seu principal jogador.

Vitória dos titãs

Boa semana de jogos, use máscara, evite sair de casa, lave as mãos, cuide dos seus.




Obrigado por comentar!
Erro!