Enquanto você presta atenção no The Rock comprando a XFL, seu parceiro no negócio pode ser ainda mais importante
A XFL, de Vince McMahon, tentou retomar suas operações e talvez até tivesse conseguido não fosse a pandemia. A liga se viu obrigada a declarar falência e, agora, foi comprada por The Rock, sua ex-esposa e um parceiro pra lá de relevante
03/08/2020 19h29 - por Marcelisco
Em 2020, a XFL reabriu suas portas, fechadas desde a realização de sua única temporada, no ano de 2001, para relativo sucesso. A liga trouxe novas ideias, jogaria em um período de relativa seca dos esportes americanos e daria chances para jogadores não aproveitados na NFL. Mas a pandemia jogou o projeto todo no ralo e, após declarar falência, a liga agora acaba comprada pelo The Rock e sua ex-esposa, Dany Garcia, (50% dos direitos) e pela RedBird Capital Partners (os outros 50%). O nome que vai chamar atenção é o do ator, mas você deveria prestar atenção mesmo é na empresa de investimento privado que o acompanha na empreitada, a RedBird Capital Partners.

Com a pandemia de coronavírus muita coisa desandou, incluindo o ano inteiro de 2020. Uma delas foi a XFL, liga de futebol americano do dono da WWE, Vince McMahon, que chegou a investir 200 milhões de dólares nesta nova iteração da liga. Jogando fora da temporada da gigante NFL, a liga parecia promissora, dando chance para talentos ignorados pela gigante concorrente, trazendo ideias novas e colocando um produto minimamente tragável de futebol americano num período de perceptiva abstinência para o fã do esporte. Aí veio a pandemia e tudo desandou, obrigando McMahon a, mais uma vez (a XFL já havia realizado uma única temporada em 2001), desistir do sonho de disputar mercado com a NFL.

Se você não sabe quem é McMahon, ele é o dono (e por vezes personagem) da maior empresa do mundo do que aqui no Brasil ficou conhecido como "tele catch" ou "luta livre combinada". A WWE, como é chamada, foi onde Dwayne Johnson fez seu nome de "The Rock", ganhando a fama que o levou a ser uma dos maiores nomes do entretenimento na atualidade. Vale, como curiosidade, dizer que a "luta" não era nem o ponto mais forte do ator no seu tempo na WWE, mas sim seu carisma e sua incrível habilidade com um microfone nas mãos, devidamente colocada no topo de qualquer discussão sobre o tema.

Com todo esse sucesso e fortuna conseguidos como "lutador" e ator, The Rock fez uma parceria com a Redbird Capital Partners e sua ex-esposa, Dany Garcia, para comprar por 15 milhões de dólares os ativos da empresa que havia declarado falência em abril e conta com 10 a 50 milhões de dólares em dívidas. The Rock e Garcia ficam com 50% da empresa, enquanto a RedBird fica com os outros 50%. O furo é do site Sportico.

Mas que empresa é essa e por que ela é relevante?

Gerida pelo ex-Goldman Sachs, Gerald Cardinale, a Redbird é um nome mais do que acostumado com o mundo dos negócios nos esportes. Cardinale foi responsável pelo contrato de Alex Rodriguez com os Yankees, em 2007. Enquanto ainda estava no banco, o executivo já tinha relacionamento de negócios com nomes como Jerry Jones, dono do Dallas Cowboys, e George Steinbrenner, falecido dono do New York Yankees, montando a Legends Hospitality, uma empresa responsável por cuidar de bilheterias, merchandising e venda de camarotesem parceria com os Cowboys e os Yankees. Você vai notar que as duas franquias são dois dos times esportivos mais famosos e com maior valor de mercado no mundo.

As costas não são quentes, são ferventes.

A RedBird tem em sua carteira de investimentos empresas como:
  • YES Network maior rede regional esportiva do país e detentora dos direitos exclusivos de transmissão dos Yankees, mas também do Brooklyn Nets, da NBA, do New york City FC, da MLS e do New York Liberty, da WNBA. Cardinale ajudou o time nova iorquino a lançar a rede e, em 2019 e já com a própria empresa de investimentos, recapitalizou o negócio em parceria com o próprio time de baseball mas também o Sinclair Broadcast Group, a Amazon, a Blackstone e a Mubadala Capital;
  • OneTeam Partners, parceira dos sindicatos de jogadores da NFL e da MLB para negociação dos direitos de imagem dos jogadores com potenciais negócios como videogames, cards, etc. A empresa representa ainda os jogadores da MLS, da seleção nacional feminina de futebol dos EUA e da WNBA;
  • Toulouse Football Club, time francês recém rebaixado da Ligue 1 para a Ligue 2;
  • On Location Experiences, empresa que, dentre outros empreendimentos, é dona e operadora da NFL On Location, fornecedor oficial da NFL de Hospitalidade Premium para os eventos mais importantes da NFL, incluindo o Super Bowl;
  • Skydance Media, estúdio responsável pela produção das franquias Missão Impossível, Exterminador do Futuro, Jornada nas Estrelas, Top Gun, Jack Ryan e Jack Reacher, além de Grace & Frankie, da Netflix, dentre outros
Pois é.

A empresa bilionária já conta empreendimentos enormes, parceiros expressivos (Jerry Jones talvez seja o dono mais influente da NFL nos dias de hoje, principalmente quando se fala em dinheiro) e tá longe de ser apenas coadjuvante no novo projeto. Gerry Cardinale tem um perfil arrojado e aparente facilidade de se relacionar com nomes importantes (qualquer relação com o senador republicano de New Jersey, Gerald Cardinale, não foi possível de ser confirmada ainda).

Sabendo que a RedBird é a parceira de The Rock e conhecendo um pouquinho melhor os projetos da empresa, é possível prever que um futuro relançamento da XFL, ou o que quer que venha desta aquisição, não será um projeto aventureiro qualquer.




Obrigado por comentar!
Erro!